Atividade Física Combate Diabetes Gestacional

diabetes na gravidezA prática de atividade física regular é fundamental para toda a população, no entanto, no que se refere à gravidez e o diabetes ainda existem muitas dúvidas e mitos que levam à diminuição da sua frequência.

Muitos têm sido os estudos realizados, que comprovam os benefícios da prática de atividade física antes, durante e após a gravidez.

Atualmente, sabe-se que durante a atividade física, ocorrem adaptações por parte do bebé, que lhe permitem melhor captação do oxigênio e otimização da sua circulação sanguínea. Um programa de atividade física moderada, iniciado numa fase precoce da gravidez, leva a crescimento mais regular e saudável do feto. Não existem evidências que haja aumento da temperatura da mãe a níveis prejudiciais para o bebé, como muitas vezes se supõe.

Além do alívio de sintomas comuns à gravidez, a prática de atividade física proporciona redução de stress e irritabilidade, prevenindo o excesso de peso e promovendo ganha de massa muscular, aumento da força, resistência e melhora de postura, que diminuirão dores musculares e articulares que possam aparecer, sendo as mais comuns as dores lombares.

Combate ao Diabetes

Existem ainda outros benefícios a considerar, como a prevenção da intolerância à glicose e diabetes gestacional, melhor adaptação psicológica às alterações da gravidez e diminuição do risco de pré-eclâmpsia (tensões altas na gravidez).

Durante muito tempo, acreditou-se que a prática de atividade física poderia levar à prematuridade do parto; no entanto, não há dados que confirmem este risco. Por outro lado, o trabalho de parto parece estar facilitado em grávidas fisicamente ativas, observando-se menor duração e diminuição das complicações obstétricas.

No que se refere ao aleitamento, a atividade física poderá ter um papel importante, uma vez que o excesso de peso e a obesidade estão associados a uma menor duração da amamentação, além do risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Em suma, aconselha-se que as mulheres grávidas realizem atividade física regular, pelo menos durante 15 minutos, três dias por semana. A atividade física deve ser realizado nas alturas menos quentes do dia, usando roupas confortáveis, ingerindo uma quantidade adequada de líquidos e sendo capaz de manter uma conversação verbal durante a prática de exercício.

Devem evitar-se os exercícios físicos de barriga para baixo depois do quarto mês, bem como os exercícios que exijam esforço abdominal. São também de evitar os desportos com risco de traumatismo abdominal e queda. Numa fase mais tardia da gravidez, os exercícios que exijam estar de pé por muito tempo e deitada de barriga para cima devem ser terminados.

A grávida deve parar o exercício e consultar o seu médico caso note alguma alteração como tonturas/desmaio, palpitações, dor no peito, dificuldade em caminhar, dor de cabeça, hemorragia vaginal, contrações uterinas, diminuição do movimento fetal, etc.

Além do exercício físico regular, plantas e ervas medicinais podem ajudar a manter o controle da glicose na sangue, veja o vídeo abaixo:

Caso queira saber mais sobre remédios naturais acesse: Chá Para Diabetes

Terminamos com algumas sugestões de atividades físicas que poderão ser efetuadas de forma segura durante a gravidez, caso não existam contraindicações:

  • Caminhadas de 20/30 minutos, com ritmo regular e de modo a conseguir conversar (pode aproveitar para levar companhia);
  • Hidroginástica ou natação, embora nesta última deva evitar os bruços devido ao esforço lombar;
  • Andar de bicicleta de forma calma e descontraída;
  • Yoga ou Pilates, que fortalecem os músculos e treinam a postura;
  • 5 a 10 minutos de alongamentos após cada exercício de modo a relaxar os músculos e articulações.

Desse modo a pratica regular de atividade física funciona como um verdadeiro tratamento natural para diabetes, além combater o diabetes o exercício físico previne diversas outras doenças.

A osteoporose e a prevenção de quedas

osteoporose e diabetesA osteoporose é uma doença óssea caracterizada pela diminuição da densidade óssea, ou seja, torna os ossos mais finos, menos resistentes e mais suscetíveis a fraturas. As fraturas são a consequência mais perigosa da osteoporose, sendo causa de dor aguda e crônica, diminuição da qualidade de vida, dependência e aumento da mortalidade.

É uma doença crônica progressiva de evolução normalmente longa (vários anos) e geralmente não causa sintomas. Ocorre mais frequentemente nos idosos e nas mulheres porque as alterações hormonais que ocorrem na menopausa também afetam o osso.

Tem como fatores de risco a idade superior a 65 anos, história na família de fratura da anca, menopausa precoce (menos de 40 anos) e terapêutica crônica com corticosteróides. O tabagismo e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas também têm um papel importante. Como a maioria dos doentes são idosos, é muito importante os familiares, cuidadores e amigos estarem informados sobre a prevenção das quedas e diminuição do risco de fraturas.

Cuidados que o paciente deve ter em casa:

  • Usar calçado baixo e aderente;
  • Nunca andar descalço ou só com meias e evitar caminhar com chinelos mesmo em trajetos curtos e conhecidos;
  • Na casa de banho, usar apenas tapetes antiderrapantes apropriados e instalar barras de suporte;
  • Evitar tomar banho em banheiras: instalar cabines de duche, que são mais seguras, têm apoios apropriados e são mais acessíveis de usar;
  • Nas restantes divisões da casa, evitar usar tapetes;
  • Colocar corrimões nos locais de maior perigo, como escadas e locais muito inclinados;
  • Na cozinha, evitar guardar os alimentos ou utensílios em locais elevados onde seja necessário subir escadotes ou cadeiras;
  • Manter as zonas de passagem amplas e sem obstáculos;
  • Não andar em locais da casa com pouca iluminação e/ou difícil acesso;
  • Usar luzes noturnas/guia durante a noite, principalmente no quarto, casa de banho e trajetos.

Não se esqueça, a maioria das quedas ocorre em casa!

Cuidados no dia a dia:

Andar devagar em áreas desconhecidas;

Pedir /oferecer auxílio sempre que necessário: ao atravessar ruas movimentadas, subir ou descer escadas, caminhar com volumes pesados, em superfícies escorregadias ou molhadas (por exemplo, na calçada portuguesa);

Usar sempre cinto de segurança em qualquer tipo de transporte, mesmo em autocarros públicos;

Evitar veículos de 2 rodas, como motas e bicicletas, inclusivamente como passageiro;

Ter atenção à postura e altura – as fraturas vertebrais são frequentes e muitas vezes não têm sintomas;

Ter atenção com a visão: doenças como o glaucoma e as cataratas são frequentes no idoso e diminuem bastante as capacidades visuais;

Evitar o sedentarismo: o exercício físico apropriado, mesmo que ligeiro, é muito benéfico na osteoporose.

Esses são alguns cuidados essenciais que o paciente acometido com a osteoporose deve ter diariamente.

Saiba mais em: natureto.eco.br